terça-feira, 30 de junho de 2009

Hoje o vazio tomou conta de mim
Um silêncio absoluto vi-me caindo num absmo, de braços e pernas ao vento
No suculento sulco da morte
Azar ou sorte?
Vi-me um pedaço de gente
que sucumbe na mente em desespero
no apelo de nao mais ver
se nem ao menos pela ultima vez
na aurora do mês,
sabendo que o fim do há de chegar
como ondas de mar
como num breu
que o sol vem exterminando em chamas
como inuteis lhamas, que caranguejam no deserto
O fim ja esta perto!
errado ou certo?
e caindo, caindo , caindo em sorrisos para morte, isso que é sorte!
Na aurora do dia, que grande alegria!
Já desfalecia, sem dor sem lamento
no nascimento do sol
que grande arrebol
um lento inspiro
como eu admiro
o dia que irá nascer

Ariela da turma I1

Estudante do Colégio Municipal Geralda de Aquino