domingo, 23 de agosto de 2009

A demoniocracia de 1989

Uma torrente revoltosa desceu a ladeira do seu olhar
E não pude deixar de me encantar quando a lareira se acendeu

Transbordou! sua boca abriu as ondas turvas do fogo passado

Já não havia mais nenhuma forma de parar
O vômito ininterrupto vindo à tona

Sem que pudesse gemer
Os olhares tocaram-se em profundo derramamento de larva fosca

Partidos, gemeram os partidos: viva a demoniocracia!