quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Triste? Não! Realidade

Que mundo é esse???
Onde pobres crianças
são obrigadas a trabalhar
e perder a infância.

Que mundo é esse???
Onde os pobres pagam
o que os ricos cometem.

Que mundo é esse???
Onde os escolhidos pelo povo
viram as costas
na primeira oportunidade.

Que mundo é esse, meu Deus???
Onde a desgraça de um é a alegria de outro.
É, esse é o meu
o seu e o nosso...Brasil!!!

Alana (Estudante da turma H1)

domingo, 25 de outubro de 2009

Nunca acredite

Não acredite...

Nunca acredite
Nunca confie
Nunca deixe isso fazer parte de você
Nunca deixe isso entrar em você
Porque não adianta...
Lutar por uma coisa que nunca foi sua
Não se afogue em suas próprias mentiras
Pois a ferida é simplesmente dolorosa
Assim como um sonho que se torna o seu pesadelo
Não adianta gritar por aquilo que um dia você acreditou
Simplesmente não se importe , não acredite....

Raul Raism Souza Freitas (estudante da turma H2)

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Somos seres de sentimentos escuros
Fantasmas noturnos
Que choram pela tristeza
Que levamos nos pensamentos
Nossas almas melancólicas
Vagam pela noite sombria
Em busca de alegria
Perdidas nas sombras da escuridao
Vidas destruidas por desilusões
Por favor nao tenha medo
De uma alma que e triste e amaldiçoada
Trajando quase tudoSomos o estranho fruto
Do mundo feliz que ao existe !!!


Ialle Souza (Estudante da turma I2)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Descoberta

Descoberta (Alana Pessoni/ H1)

Me perdi em mim
me desesperei só de pensar...
E se eu não me encontrar?!

Queria saber o porquê!
Mas como?
Se nem tudo na vida tem motivo.

Descobrir!!!
Só dentro de mim mesma
posso me encontrar...

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Soneto de liberdade









A luta pela angústia solitária cresceu
Embora tenebrosa, não me surpreendeu
E a caverna colidiu-se com meus anseios

Descobrir o barco sem condução
Dessas águas sólidas em abismo
Fez-me procurar o condutor

Mas eis que as águas estavam em pleno vinho
E baco sequer pronunciou meu nome
Percebi, então, que não estava preso
E no céu nuvens caminhavam em compasso inútil

A cumplicidade dessa tola maquinaria
Deixou o condutor aos fundos da caverna
E o barco acompanhado de Baco
Seguiu a trajetória sem rumo de um barco sem condução

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Poneylandia

Poneylandia

Olhe para o alto
Acredite firmemente
Tenha fé
Você vai ver a luz
Os pôneis vão te ajudar
Se você ver um pônei voando por ai saiba
Todo seu tormento e dor acabaram
Você será abençoado
Você irá pra outro mundo
Onde a grama é rosa
Seu cocô é colorido
Você ficaria noiado apenas com um gole de refrigerante de uva
Esse é um lugar onde a suruba come solta
Os pôneis vão te ensinar a suruba legal
Toma cerveja
Fica chapado
Fuma brau
Cheira vodka
Fazer sexo oral
E o mais importante
Fazer cocô

Oooooooooooh

Raul Raism Souza Freitas (Estudante da Turma H2)