sexta-feira, 30 de abril de 2010

Sábado de fazenda

hoje estou vestido de sexta
abro minhas pastas
para saber que as camas não foram feitas

deixo a porta aberta (sem razão alguma)
deitado na cadeira que permite apenas o sentar
engato sexta
e sou café em almoço

hoje é sexta-feira
e, ironicamente, estou de sesta
o xadrez pula à tela
meus adversários são queridos amigos de sangue
e a casa cheira daniel de foto e (são olhos negros de ouro!)
e digo: a sala é toda minha infância, digo

sou hoje um contista
quase um romance
resolvi paralisar meu momento de poltrona
para sonhar entorpecido

hoje as drogas são segunda
segundo ou último plano
e minha sexta já é toda sábado de fazenda

3 comentários:

  1. professor gostei da sua pesia parabens ficou maraa

    ResponderExcluir
  2. maraaaaa vei continui assim

    ResponderExcluir
  3. Marcão sua escrita transborda.
    brilhante, simples, complexo, maravilhosamente verdadeira

    um grande abraço meu brother

    ResponderExcluir