sábado, 3 de abril de 2010

Sábado sem álcool

Não há como brincar de garrafeiro – Sumiram minha adega
E os amores solaram o tempo
Todos se desmancharam em copos passados

Meus braços não querem o mundo em pedaços
Hoje a poesia é Bandolins
Trinta vezes e sou só Bandolins

Vão tirar sarro de você que brinca de simcity
Que espera a fala deles
Que procura um candidato
Uma igreja
Uma mulher



Carlos
Moderno não tem fé e não pode se comover como um diabo

3 comentários:

  1. nossa professor adorei esse poema bem legal parabens professor.

    ResponderExcluir
  2. credo marcos q poesia mais louca

    ResponderExcluir
  3. nao gostei nao entendi nada ta sem sentido

    ResponderExcluir