sexta-feira, 9 de julho de 2010

cuidado poeta, a noite cai!


Cuidado poeta, a noite cai!


Defenda-se impetuosamente da noite:
Calvino deve permanecer aberto
perto da Tabacaria
pois o cavaleiro se materializa fumando charuto
quando menos se espera
passa Taverna adentro
e come, carne e osso
a dona da pensão

Ahhhh...
e não é Macário
nem mesmo o Diabo
mas meu velho cavaleiro inexistente
(Cervantes morreria de inveja!)


Salve o que escreveu
encante sua Alice para que ela não fuja num pesadelo
e, ainda
não confie na criatividade dos sonhos
nem sempre somos abençoados



A noite sucumbe qualquer ser, orvalho enxuto sem por que!

Nenhum comentário:

Postar um comentário