quarta-feira, 14 de julho de 2010

Bêbado como Álvaro de Campos, Consciente como Poe

Meu ápice!
a gota do orvalho gemia a queda
mas fui surpreendido por sua fala

Pensei sobre mim:
--Destino poético é curvar-se aos poemas
--Frustração não resiste ao álcool
--Vida se acha em braços de livros abertos
(pensamentos medíocres!)

Conversa lúcida é poema de quem escreve bêbado
Por isso sou Poe ao lado seu, querido Campos


Passeio pelas nuvens espassadas da realidade, sem medo
E sua voz me vem como rio vermelho contemplando o céu
Das correntezas
Ouço cora, ouço você!

Sem distinção entre mim e ti
Entre ti e o outro
Somos leves barquinhos no rio da vila sem volta

Um comentário:

  1. "Conversa lúcida é poema de quem escreve bêbado"
    Gostei! Abraços...

    ResponderExcluir