domingo, 5 de dezembro de 2010

vitória dum presidiário

quando as roupas embranquecem e os insetos são dedetizados
(já não há bolhas!)

a alegria do condenado parece reinar

se não há moscas e apenas ouve-se o chiar da chuva

sos
se
ga
da
men
te

ou, no motel, já veio o gozo
e a tranquiladade da noite paira, o sono vem!

são faces aprisionadas da insensatez


(mas peste não é metáfora para a morte!)

só o gozo, sono ou chuva sossegada fazem da morte minha ressurreição

Nenhum comentário:

Postar um comentário