sexta-feira, 18 de março de 2011

curti-dor

regado a maracujá
ouço vozes de sono, c-antigas


almoço com sede
só pra deitar delírio adentro
paro, fujo novamente
agora, são estrelas cadentes
sequer acordo, não é sonho, meus devaneios

sou mesmo tragédia ambulante!
e não se trata de rir coletivamente ou só rir - é incômodo sem redenção!
é que a história tem gosto de janela que se abre de repente
gosto de vento do sul, forte-frio... que me adormece, sem sono

Um comentário:

  1. acho massa as frases de efeitos q da pra extrair d seus textos...

    ResponderExcluir