terça-feira, 22 de março de 2011

cheiro de MERDA azul celeste

é do precipício que se cheira o infinito
do absurdo, o caos, o gozo imor(t)al


e, indiscutivelmente, na MERDA se ouve um blues

4 comentários:

  1. Marcos, parabéns pela virada conceitual.

    O problema do gozo,
    gozo sem problema.
    De dentro pra fora,
    fora e dentro.

    Matheus padilha.

    ResponderExcluir
  2. "o problema do gozo, gozo sem problema", exatamente isso! Você visualizou o alvo e, se me permite, já é membro da Escola Imor(t)al do Gozo . Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  3. a merda é uma das essências da poesia. Todo poeta no fundo bebe na malicia da coprofagia hahah nota-se Marquês de Sade, Bocage e cia

    ResponderExcluir