sábado, 9 de abril de 2011

Quer'ela

Mistura nada homogênea de cores
lisbela

aquarela d'alma prolixa
quer'ela

Ela, simplesmente ela

3 comentários:

  1. Nesta aquarela de cores vejo o laranja que praz tranquilidade c' o lilas da poesia

    Adorei!

    ResponderExcluir
  2. Alma aflita e incompreendida, um amor pouco convencional... uma angustia que termina ao encontro com ela

    pelo menos o que entendi!

    ResponderExcluir
  3. gostei do "amor pouco (nada?) convencional"... grande abraço!

    ResponderExcluir