sexta-feira, 15 de abril de 2011

só-de-sexta-em-casa

Só em sexta de casa
fiz amigos facilmente
do boteco ao lado saltou uma cerveja
da tela, um xadrez em guerra: reis a bolar ideias tantãs

Foi, entretanto, o guardião da noite quem sobressaiu
um zé, comum, de Zeca travestiu-se
e até me vi entre ramalhos, bailando...
em montes negros os bandolins davam cordas à bailarina, perdida de amar



a triste alegria sobreveio, cantarolando, bailando...
bebi
cantei
bailei
mas só o sono se revelou capaz de gozar de mim

2 comentários:

  1. belo retrato da vida; o sonho, nosso único prazer vestindo sua calcinha chula e sublime

    ResponderExcluir
  2. rsss... boa, cara! o sonho vestindo sua calcinha chula e sublime - gostei!

    ResponderExcluir