sexta-feira, 17 de junho de 2011

Fuzuêêê

Quando o operário deita em cima do muro e cruza os braços
ou simplesmente traz atestados
licença, vejo um outro movimento

Escritor, professor, taxista ou doutor
ouço os cochilos
os medos - desejos!


Que é sair de casa
nas greves, nas ruas
no centro - no sonho, um fuzuê!

Corte histórico não é rebeldia,
já é consequência
dessa louca estadia
na terra



Nenhum comentário:

Postar um comentário