quinta-feira, 23 de junho de 2011

"minha vez!", "não... sou eu!"

reabri - não sei porquê!

outro se formava imaginariamente
de repente, um vento de palavras
velho de experiências
começou a corroer - reabriu!
 
crianças brincam de lavar a própria banheira
enquanto arrumo meu quarto
"minha vez!", "não... sou eu!"
assisto delírios!

minhas palavras querem tocar aquelas ditas pelos pentelhos ao lado!



Nenhum comentário:

Postar um comentário