terça-feira, 16 de agosto de 2011

No ovo da Ema brotou uma estrela


No ovo da Ema brotou uma estrela (Dedicado a Marcos Alves Lopes)
De Cacau Cruz.

Era um astrônomo que buscava desvendar as estrelas no interior dos homens.
Estrelas confusas, de cores difusas e brilhos secretos.
Cientista que colocava dentro de um microscópio as miudezas da natureza humana.
De dentro para fora ou de fora para dentro? Não importa. É pé na porta. E porta é para ser aberta.  
Tinha o dom da oratória e do paradoxo metafórico.
Era inspiração inspirada.
Mestre observador dos lances viscerais no tabuleiro da vida.
Literatura atrevida, psicanálise (re)inventada, poesia, proesia, poema.....
E a Ema? Que ema?
Não precisa de rima. Marcos é literatura feita de baixo para cima, ou será de cima para baixo?
Veio de ouro no lodo da terra, mas não é poeta ou escritor. É inventor!


(Esse poema é de Cacau Cruz, amiga e poeta, que me presenteou com esse belíssimo texto. Não sei o que dizer... Valeu, Cacau!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário