sábado, 13 de agosto de 2011

noite vadia



Quero ser lágrima que nasce nos teus olhos
percorre a tua face e morre na tua boca.
Quero ser o gemido do teu corpo ao penetrar o meu.
Quero ser a fome que te consome ao me ver partir,
e a dor que te desola por não poder dizer que é só meu.


Sou o sussuro dos teus sonhos a me pedir para ficar


Não quero o amor morno dos lençóis embaraçados
quero a fugacidade do desejo (não dito, mas profetizado)
dois corpos num anel de fluxos - fluidos e gemidos
quero, antes, o fim do dia
num crepúsculo que anuncia
mais uma noite vadia!




Produção coletiva:
Eu e Cacau Cruz

(Minha parceria com Cacau Cruz está cada vez mais interessante! Valeu, Cacau!)




2 comentários: