sábado, 13 de agosto de 2011

Vadiagem noturna


Não quero o amor morno dos lençóis embaraçados
quero a fugacidade do desejo (não dito, mas profetizado)
dois corpos num anel de fluxos - fluidos e gemidos
quero, antes, o fim do dia
num crepúsculo que anuncia
mais uma noite vadia!



À Fernanda Gonçalves Padilha, minha nega.

Nenhum comentário:

Postar um comentário