quarta-feira, 30 de novembro de 2011

crenças súbitas

pelo silêncio vou percebendo a tradição

de vidas passadas em centros de vidas em chá

de amigas mal amadas

amalgamadas por ervas daninhas das crenças súbitas.



À verdadeira amiga de quem me conhece como ninguém

Nenhum comentário:

Postar um comentário