quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Fresta do dia

Provar do cálice maduro
o suco febril dos lábios carnudos

Dedos e bocas: falo pulsante
a profecia do supremo deleite

Entre pernas cruzadas e bocas cansadas
o brilho do leite rompe a fumaça do dia

Um comentário: