quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

altivez besta, meu deus!

"Eita vida besta, meu deus!"
Carlos Drummond de Andrade


Meu silêncio começou a reinar em era de palavras vazias

hoje não balbuciei palavra alguma
esperei que os peixes morressem pela boca

minhas intenções já estão postas
minha manobra, arriscada como é
não tem o preço de felicidade.
Todavia, via um rosto pacato
sem sal
salgado somente à volúpia de fim de semana
(sempre em motéis e com hora marcada!)

quero seu sexo, sim
silencioso que seja
à sua maneira custosa
mas
voraz
na altivez vista peito adentro.


(A.Q.M.C.C.N)


Nenhum comentário:

Postar um comentário