segunda-feira, 16 de abril de 2012

Em um dia banal

Em um dia banal/ fui embalado pela cantata celestial,/ embalagem de natal,/ para ser empalado pelo poder do capital/ pura imprevisibilidade do real!

Um comentário: