quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Da verdade, um efeito

O que importa não é a verdade factual, mas o império do efeito de verdade. Esse efeito avança no maior mal-entendido, nonsense. É que o desejo de convencer (o desejo de demonstrar a exatidão dos fatos) demonstra somente a pressa por concluir prematuramente - remontar perfeitamente os erros do quebra-cabeças. Entretanto, procurar a exatidão histórica esconde longe-longe o sujeito, o sujeito do desejo. O efeito, o estilo, é que devolve o sujeito aos olhos do Outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário