segunda-feira, 3 de setembro de 2012

cinema hollywoodiano

escrevo em versos somente pela licença
porque não preciso pedir licença (é poético!)
digo como muitos esfacelados
com a mesma fome da sua mãe (seu pai morreu e ela quer sexo!)
e transo e durmo

mas a licença me permite dizer sem avessos
ir ao encontro de minha humanidade sem desvios
o que até os mais próximos têm medo de falar
os poetas (sob as asas da poesia) gritam
o mesmo grito de milhares de anos
enquanto silenciosos mortais se apagam em filas de cinema hollywoodiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário