quinta-feira, 9 de maio de 2013

Louca, não sou

Louca, não sou

Louca, não sou
Tão pouco sou normal
As fronteiras não existem nas raias de um ser inteiro

Loucura é ser pela metade
Ser humano parcial
Guardar amores e segredos
Nesses cofres virtuais

Eu sou toda
Ou não sou
Até minhas reservas e medos
São públicos
O que escondo me revela

Aí minha insanidade:
Não renegar a loucura
Aceitar no corpo todo
Minha alma desigual
Louca, não sou

Autoria: Lua Barreto

Nenhum comentário:

Postar um comentário