quarta-feira, 13 de novembro de 2013

epitáfio vivo













Os olhos são epitáfios vivos
"Aqui jaz um troglodita!"

Perfura a tumba
para inscrever o que há além do corpo
VERMES

Ferve intransigente
n' alma
um quê de desatenção

O nó do corpo camaleão
não reflete as retinas

E mesmo com toda pompa
lixo
roupa
caixão
funeral
casamento
luxo...
os olhos denunciam o soturno


A leitura do espírito
não se apresenta como obra do senhor
as  vistas são de quem ama a desilusão
o ócio
o louvor do nada

Nenhum comentário:

Postar um comentário