terça-feira, 12 de novembro de 2013

Quer casar comigo?

A palavra advém da cumplicidade do ridículo
- Quer casar comigo?
Ainda não.
A palavra vai rumo à plateia delirante.
Os convites, portanto.
- Vamos, Japa! É casamento... vou morrer de rir.
O Japa vai, a Brenda, o João, o Manuel, Junhia, Rafaela, Wirna Vilma Gil

A plateia sustenta o circo do sentido anunciado.

Vejam, agora estão todos embriagados
Vinho
Champanha
Cerveja
Pinga

Sob a égide da droga
E a glória das palmas
(risos e comilança e buquê)
Um novo delírio se forma

Nenhum comentário:

Postar um comentário